Balada do Triplo Caminho

Totem verde e petrificado,
Estante ao raio hipnótico,
Se abre ao buraco caótico
No caminho tão ressequido.
O olhar sertanejo psicótico
Fixa-se, inerte, trincado,
Em um horizonte narcótico,
Ao fim do caminho esquecido.
Ao andar, assim, quase robótico,
Diz-lhe o Destino, tão retórico,
Que a Morte não é só ditado
Na boca do caminho vivido.
***

Autor/data da composição: Júlio César Coelho (Ebrael), 01/01/2016, 16:13. Todos os direitos reservados.

Composta em um comentário ao soneto “A seca do quinze“, de Viviane Vasconcelos.

Dados da Foto: Habitante sertanejo do Estado da Paraíba, Brasil. Publicada em: 21 de julho de 2010. Visualizada em: < https://goo.gl/KdBkEJ >. Direitos reservados à Brazil Photos Stock Photography.

A Beleza da Fragilidade

Tradução: “Linda foto de Noah, bebê que sofreu aborto espontâneo após 12a. semana de gestação, mostra a Humanidade do bebê ainda não nascido.”

A Vida é infinitamente maior do que nós mesmos. A atitude natural do ser humano diante de qualquer forma de vida deveria ser de, no mínimo, respeito, senão mesmo de reverência (ainda mais quando originada dessas nossas carcaças frágeis, com a alma vinda do Criador).

P. S.: o aborto, nesse caso, foi espontâneo. Aquelas mãos, que presumo serem do pai da criança, provavelmente quiseram segurá-lo, em um ato de contemplação de sua humanidade, antes da despedida.

Data da foto: 20 de fevereiro de 2014.

Dilma, a Casa caiu!

Sem muito palavrório, quero deixar registrado o orgulho que senti ao ver, a despeito de quaisquer consequências, o teor genuíno e a pujança das manifestações deste dia 15 de março, em rejeição à presidente Dilma e à sua panaceia socialista de merda.

Sem pão com mortadela, com Consciência e sem preços, sob sol e/ou chuva. De carro, a pé ou via metrô. Na praia ou na cidade. Foram milhões em um só dia, a uma só voz, a exigir a renúncia de Dilma Rousseff e a extinção do PT e de outras quadrilhas similares.

Continue lendo “Dilma, a Casa caiu!”