De repente, bateu uma saudade de meu pai

Eu estava ainda agora fuçando no Youtube por clipes de músicas que eu sempre gostei. Me surgiu à mente a canção Pai, do Fábio Jr., que sempre me emocionou.
O sentimento de saudade e amor aos pais é diferente em nuances do amor às nossas mães, mas não menos marcante. Não está somente no sangue, está na personalidade inteira, no coração. Meu pai está não muito longe daqui, a uns 80 km, mais ou menos, em Balneário Camboriú. Mesmo que estivesse a menos de 1 km, nós sentiríamos saudades de qualquer jeito, pois sentimos saudades não somente da presença no espaço, mas no tempo, nos tempos de infância, nos tempos de abraços mais frequentes, menos formais, inclusive.

A saudade fica mais forte quando percebemos o quanto de nós está contido naquela figura amadurecida pela vida e por suas lições, o quanto de nossos erros e acertos já foram perpetrados por eles, antes mesmo que fôssemos meros espermatozóides e óvulos, o quanto de nosso sorriso, de nossos cacoetes e bordões têm sua origem em cada um de nossos pais…
Há alguns meses apenas que o vi pela última vez, por um pouco mais de uma hora. Estivemos eu, meu pai e meu filho, juntos, por pouco mais de uma hora. Hoje em dia, não esperamos mais por uma bicicleta ou outro presente ansiosamente, mas por um abraço e aquelas palavras que costumávamos escutar deles, até com uma certa indiferença, quando éramos crianças, tais como: “Deus te abençoe, filho”, “obedece tua mãe”,  “quer fazer um lanche??”,  “o pai te ama!!”… coisas essas que hoje repito a meu filho!!

A poesia que compus no último dia dos Pais, não a fiz pensando só em meu filho, mas no que meu pai diria sobre os Pais:

Ser Pai…
É conduzir com segurança, ainda que encima de uma corda-bamba.
É ser corajoso, ainda que o coração espasme de medo.
É a palavra de autoridade, falada ao ouvido, ecoando no coração durante décadas, tal como um dogma.

Vou dormir tranquilo agora, pois que a lembrança de meu pai é algo que me conforta, me certificando que, apesar das minhas mazelas, sou capaz, e muito, de carregar amor no coração, e manter vivas as Memórias que fazem as pessoas realmente felizes: as da família!!

Pai (Fábio Jr.)

Pai, pode ser que daqui a algum tempo
Haja tempo pra gente ser mais,
Muito mais que dois grandes amigos, pai e filho talvez…
Pai, pode ser que daí você sinta, qualquer coisa entre esses vinte ou trinta,
Longos anos em busca de paz….
Pai, pode crer, eu tô bem eu vou indo, tô tentando, vivendo e pedindo
Com loucura pra você renascer…
Pai, eu não faço questão de ser tudo, só não quero e nao vou ficar mudo
Pra falar de amor pra você!!
Pai, senta aqui que o jantar tá na mesa, fala um pouco tua voz tá tão presa.
Nos ensine esse jogo da vida, onde a vida só paga pra ver.
Pai, me perdoa essa insegurança, é que eu não sou mais aquela criança
Que um dia morrendo de medo, nos teus braços você fez segredo
Nos teus passos você foi mais eu.
Pai, eu cresci e não houve outro jeito, quero só reencostar no teu peito
Pra pedir pra você ir lá em casa e brincar de vovô com meu filho,
No tapete da sala de estar.
Pai, você foi meu herói meu bandido, hoje é mais muito mais que um amigo.
Nem você nem ninguém tá sozinho, você faz parte desse caminho

Que hoje eu sigo em paz!!

Inveja do Mar

Por querer seguir os passos de seu ídolo, como todo fã, fiz essa poesia para o Carlos Drumond de Andrade. Uma dulcíssima amiga minha, a Syssim, deixou em um de seus posts uma pegada tímida do Drumond. E baseado nessa pegada nasceu essa pérola:


Inveja do Mar

O Mar é tão vasto, imenso, tão pleno,
E suas ondas se agigantam sobre a janela,
Só para mirar em teu ventre, que se desvela
Sob o úmido lençol, já deveras pequeno.

O Amor é tão casto, intenso, tão sereno,
Seus braços nos envolvem em paz mais singela;
Mas precedido pela Paixão, sempre sentinela
De que o Fogo não se nos torne em veneno.

No teu Mar, o meu repasto, puro ou obsceno;
Em tuas ondas me afogas, mesmo à luz de vela.
És Água da Vida, onde a brasa rubra se anela,
Calma, perseverante, ao meu bravio terreno.

Pastor João e a Igreja Invisível (Raul Seixas)

Não me entendam mal. Não é que eu queira pegar no pé de alguém (ou de alguns), ainda que alguns deixem o rabo para ser puxado… Às vezes, até eu me entendo mal. Porque será que teria de postar justamente um vídeo com o teor como o desse??

Não sei, mas um fogo abrasador arde em meu peito… Parece que estou escutando uma voz conversando comigo…Deixa eu me concentrar.

…Sim, estou uma escutando uma voz… uma voz soando forte e vigorosa em meus ouvidos….uma presença irresistível. Ela está me profetizando algo.

É minha mulher, me atasanando para postar logo esse vídeo infame e ir ajudá-la a fazer o almoço, pois é domingo e eu não tenho desculpa que estou cansado. É melhor eu ir, antes que, ao invés de fogo do céu e dinheiro, o que é mais difícil, chova panelas na minha cabeça.

Os Amores e a diferença de idades

Ontem soube que uma amiga minha de 23 anos estava namorando seriamente com um homem bem mais velho que ela. Não o conheço pessoalmente, por isso não posso dizer o que acho dele. Mas, no caso dela, acho que pode ser uma boa experiência de vida. Quem sabe se não?!

Também sou da opinião de que o Amor não tem idade, e que a mesma não seja um distintivo para dizer se será bom ou não. O que importa é o caráter, a sinceridade e a vontade de os dois estarem juntos realmente. É claro, o mais novo, por causa da natureza, tende a ser mais voluntarioso, ciumento, imaturo. Mas isso pode variar. Cada caso é um caso.

Mas o que pode atrapalhar num relacionamento com diferença de idades?? Bem, geralmente pessoas de idades diferentes não estão esperando a mesma coisa da vida. Geralmente, quem é mais maduro espera uma relação mais tranquila, sem muitos sobressaltos. As aventuras, para pessoas assim, tendem a ser, no máximo, esporádicas. Já sabem, na maioria das vezes, o que querem da vida (profissional, pessoal, etc.). As pessoas mais jovens, no entanto, querem tudo da vida, e ao mesmo tempo, nenhum compromisso. Querem tudo, mas não querem nada também! As aventuras e o insólito tendem a ser o alvo de suas esperanças imediatistas, pois a Natureza os infla de energia irresistível.

O sexo, para os mais jovens, consiste naquele egoísmo pelo prazer, e o céu é o limite!! Para a maturidade, o sexo é mais cumplicidade, a certeza e a segurança de que a outra pessoa está com você mesmo, e o prazer advém de corpos já completos. O sexo e o Amor na maturidade são já translúcidos; na juventude, é mais fogo-de-palha!!

Essas pequenas diferenças características podem atrapalhar, e muito, os relacionamentos de pessoas de idades diferentes. Nem em relação a um ou outro, essas características podem ser taxadas de defeitos. São, apenas, inerentes àquela idade.

E mais que idade biológica, a “idade” é um estado de espírito. Conheço um casal de velhinhos aqui da rua, e principalmente a velhinha que já tem 91 anos, que fazem um barulhão todas as noites que chegam do baile. E demoram a sossegar. Esses dias, passando à noite pela frente da casa deles, chegando do trabalho, escutava ruídos desesperados vindos do quarto deles, que fica na parte da frente da casa.

Mas me lembrei de algo interessante da minha adolescência: era apaixonado (sentia um baita tesão mesmo!!) pela minha professora de Geografia. É aquela coisa: Quem é mais jovem quer alguém mais experiente para lhe ensinar as “coisas da vida”, e quem é mais maduro quer os mais inocentes para lhes passar segredos de Anatomia e Ciências…